Viver sabiamente significa compreender e criar limites para não lutar com a saúde emocional, mental e espiritual. “A solução para lidar com o estresse é organizar-se melhor”, escreve o Dr. Samuel B. Sidjabat

Os limites regulam o tempo, o espaço e o movimento, assim como as realizações. Por que precisamos de limites? Precisamos de limites porque nos ajudam a manter o rumo e, mais importante ainda, porque nos impedem de nos desviarmos.

Precisamos de estabelecer limites porque a energia ou força física e emocional de uma pessoa tem limites. Se você não dormir bem (por insônia) nem que seja durante uma semana, isso provocará o declínio da imunidade do seu corpo. Os nossos corpos podem ser facilmente atacados por germes, bactérias e vírus, incluindo o novo Coronavírus neste momento.

Viver sabiamente significa compreender e criar limites para que não experimente adversidades em termos de saúde emocional, mental e espiritual. Temos de compreender que os seres humanos, como criação de Deus, são frágeis. Os seres humanos não são o Criador. Os humanos são criaturas que são facilmente quebradas e estilhaçadas, se e quando, caem, especialmente sobre rochas duras.

É recomendado que as pessoas aprendam a limitar o seu tempo de trabalho, mesmo que não se sintam estressadas e emocionalmente exaustas (esgotadas). Isto irá ajudá-las a evitar que fiquem “sobrecarregadas” e acabem por se esgotar. Gastar dinheiro também requer limites. Devemos desfrutar da vida e nos divertir, mas dentro de limites porque mesmo a euforia pode drenar a nossa energia.

Segundo Richard Swenson, um psiquiatra, precisamos de limites porque sentimos facilmente dor e tristeza. De acordo com as suas observações, muitas pessoas sofrem de “dor” devido a mudanças rápidas (como a era de 4.0). Não sentimos dor apenas devido a crises. Pelo contrário, o estresse pelo qual passamos torna-se um constante desencadeador de dor no nosso coração. Algumas pessoas tentam se livrar da dor, tirando a sua própria vida.

A solução para lidar com o estresse é nos organizarmos melhor.

Primeiro, temos que aprender a aceitar a vida como ela é. Temos que ficar satisfeitos com o que foi alcançado. Temos que nos alegrar com todas as realizações e bênçãos que Deus nos concedeu. Não temos que nos comparar com outras pessoas. Cada um tem um caminho a percorrer.

Em segundo lugar, devemos aprender a cultivar um estilo de vida simples e a administrar as nossas finanças de forma sábia. Viver um estilo de vida simples ou “ajustar-se ao que está disponível” traz muitas vezes felicidade. Quando vivemos um estilo de vida simples, não temos de ser gananciosos ou corruptos.

Em terceiro lugar, devemos aprender a ter um equilíbrio entre a vida profissional e a vida privada. Devemos trabalhar durante oito horas, descansar durante oito horas, e ter tempo para construir relações com Deus, família e irmãos nas oito horas restantes. O trabalho e o esporte também têm de andar de mãos dadas. A fé e a ação devem ser integradas.

Finalmente, devemos manter o descanso (Sabbath). Precisamos preenchê-lo com recreação, atividades sociais, humor e atividades de lazer, incluindo desfrutar de música e danças. As canções nostálgicas são de grande benefício para uma pessoa idosa. Do mesmo modo, a ligação com velhos amigos também trará felicidade ao coração.

Vamos criar limites para que não tenhamos tropeços em termos de saúde emocional, mental, e espiritual.


 

Dr. Samuel B. Sidjabat é o Presidente do Seminário Bíblico de Tiranus em Bandung e o Presidente da Associação dos Colégios Teológicos Evangélicos na Indonésia (PASTI)

Foto de duong chung no Unsplash