A Presença Prometida de Deus

Como filhos de Deus, o Senhor sempre manterá a Sua Palavra e providenciará a Sua presença nos desafios que se apresentam à vida. Em Deuteronômio 31:8, Moisés escreveu: “O próprio Senhor irá à sua frente e estará com você; ele nunca o deixará, nunca o abandonará. Não tenha medo! Não se desanime!”

Jesus garantiu aos Seus discípulos em Mateus 28:19-20: “Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”.

A presença de Deus como a “Pedra em Movimento”

É conveniente notar que a presença prometida de Deus a Israel não só representou a presença esmagadora de Deus ao longo do caminho, mas também a Sua presença física sob a forma da “Rocha em Movimento”. O apóstolo Paulo escreveu em 1 Coríntios 10:4: “e beberam da mesma bebida espiritual; pois bebiam da rocha espiritual que os acompanhava, e essa rocha era Cristo”.

Alguns acreditam que não havia Rocha em movimento no Antigo Testamento. Ao contrário, uma tradição que encontra o seu caminho na escrita de Paulo. Mas não era este o caso, pois a Rocha que fornecia água estava presente em diferentes locais e em diferentes momentos.

Números 21:17 nos diz que quando Israel veio a Beer (“poço”), onde Moisés reuniu o povo para receber água: “Então Israel cantou esta canção: `Brote água, ó poço! Cantem a seu respeito!’”

De outras passagens, é possível concluir que a “Rocha” não era apenas uma das designações comuns de Moisés para o Senhor, mas também uma verdadeira rocha física, como o apóstolo Paulo indicou. No entanto, a Rocha tornou-se uma designação primordial do Senhor.

Características da Rocha

Os caminhos da Rocha são perfeitos e justos (Dt 32:4) – “Ele é a Rocha, as suas obras são perfeitas, e todos os seus caminhos são justos. É Deus fiel, que não comete erros; justo e reto ele é.”

Foi a Rocha que trouxe a salvação a Israel (Dt 32:15) “Jesurum engordou e deu pontapés; você engordou, tornou-se pesado e farto de alimentos. Abandonou o Deus que o fez e rejeitou a Rocha, que é o seu Salvador.”

Por causa do pecado de Israel, a Rocha entregou-a à derrota; se a Rocha não tivesse se afastado Israel, ela teria sido invencível (Dt 32:30). As rochas das nações não são como a “nossa Rocha” (Dt 32:31). Em muitos destes casos, o uso de ” Rocha” por Moisés vai além da metáfora e aproxima-se da personificação.

Podemos encontrar expressões semelhantes fora do Pentateuco. A Rocha falou com Davi e fez um pacto com ele (2Sm 23:3-7; cf. 2Sm 7). Diversos Salmos também emprestam esta imagem (por exemplo, Sl 18:2, 31, 46; 62:2, 6; 89:26; 92:15; etc.). De acordo com Isaías, a Rocha Eterna é digna de confiança (Is 26:4). Os ídolos podem ser esculpidos de pedra, mas não há outra Rocha (Is 44:6-10).

O Senhor nossa Rocha

Mais especificamente, o “Senhor nossa Rocha” estava presente quando Moisés atingiu a rocha no deserto. Quando o povo se queixou, o Senhor instruiu Moisés: “Eu estarei à sua espera no alto da rocha que está em Horebe. Bata na rocha, e dela sairá água para o povo beber”. Assim fez Moisés, à vista das autoridades de Israel.” (Êx 17:6).

De acordo com Êxodo 17:6, o Senhor apareceu de forma visível na rocha de Horebe. Em que forma visível apareceu o Senhor? No contexto do Êxodo, a única resposta razoável a esta pergunta é que a coluna de nuvem estava diante de Moisés na rocha (Êx 13:21-22; 14:19, 24).

A Rocha de Israel

A Rocha de Israel conduziu definitivamente os israelitas através do deserto e também os seguiu. Ele não era apenas o seu guia, mas também a sua retaguarda (Êx 14:19). No contexto de descrever o regresso do exílio como um novo Êxodo (Is 52,4; 48,20-21), Isaías diz que o Senhor iria antes e seguiria Israel (Is 52,12; 58,8). A ênfase de Paulo no fato de que o Senhor seguiu Israel é marcante.

Finalmente, Paulo chama a Rocha que seguiu Israel de “Cristo”. Isto também pode ser deduzido a partir de um estudo cuidadoso das ligações entre a glória de Deus, a Rocha, e o Messias no Antigo Testamento. A Rocha é a Rocha que traz a salvação, e o Messias é o agente da redenção.

Além disso, a glória é uma manifestação não só do Espírito, mas também do Filho. Assim, o acontecimento registado em Êxodo 17 aponta para Jesus, a imagem da glória de Deus e da Rocha da ofensa, que foi atingido, e do qual corre água viva.


Foto de Vyacheslav Argenberg no Wikimedia Commons

Paul Mursalin is a member of the International Board of Barnabas Fund from Guyana.